Mais que um hobbie, é paz de espírito!

Num tempo remoto há uns 14 anos atrás, iniciei essa vida de usar nanquim, guache, canson, etc e tal. A princípio era pura simplesmente para exercitar o tal “dom” que na época os professores de Educação Artística insistiam em dizer que eu tinha. E logicamente que minha Mãe (coruja, como qualquer outra) ouviu os conselhos e me colocou em um curso de desenho no Centro Juvenil de Artes Plásticas.

Aquela sala com cheiro de guache, nanquim e mesas gigantescas era o sonho de muitas crianças que na época estavam lá comigo. Minha mestre foi/sempre será a Prof Lurdinha. Me ensinou as técnicas básicas de desenho até as mais complexas. Sempre me apoiou e incentivou a continuar e não foi a toa que fiquei lá por 9 anos. Saudade e gratidão são as únicas palavras que descrevem o que eu sinto por esse lugar e por minha querida Professora.

Com o passar dos semestres, visitas a museus e aulas práticas fui aprimorando o que era apenas uma diversão. Fiz o iniciante, intermediário e o avançado (uma turma bem mais velha do que era pra minha idade na época).

E com o tempo, faculdade, trabalhos acabaram deixando de lado esse hobbie que tanto amo. Nunca mais tive a oportunidade de voltar ao curso e sempre que passo pelo lugar, a nostalgia é inevitável. Vontade de voltar não falta, mas com que tempo? Vocês devem conhecer o ditado: “ Se Maomé não vai a montanha, a montanha vai a Maomé”? E se aplica neste caso.

Meu tempo é cada vez mais escasso, onde o ideal seria no mínimo umas 30h/dia. Mas quando o dia consegue ser menos estressante e me faz ter energia ainda em plena 22h30, pego o canson, meu staedtler e começo a ter paz de espírito. Não vejo o tempo passar, e nem percebo que na maioria das vezes que já passam das 02:30h.

Desenho Rostos - Fernanda Hoffmann

Muitas pessoas, leem, fotografam, jogam videogame, ouvem música, etc. Cada um tem o seu meio de escapar da monotonia… E o meu é o desenho!

Muita gente diz: “– Têm que ter dom pra poder fazer essas coisas!”

De fato, você precisa ter em seu DNA ao menos 0,01% de Picasso, Portinari, Escher ou qualquer outro mestre da arte (nem que isso seja injetado com o tempo). Porém, sem esforço e vontade de crescer nada vêm – e isso se aplica também a qualquer coisa da vida. A não ser que você seja um gênio, como eles! HAHA (:

Pra finalizar essa pré-bíblia nostálgica, acima têm alguns desenhos que teimam ainda em sair neste restinho de século. E lógico, um de quando eu era jovem e fazia os desenhos mais lindos e valiosos que os de Da Vinci (segundo minha Mãe). HAHA (:

Desenhos - Fernanda Hoffmann

“A arte diz o indizível; exprime o inexprimível, traduz o intraduzível” Leonardo da Vinci

Anúncios

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s